A força da mulher {semi-frio de cereja e amêndoa}

Neste dia 8 de Março celebra-se o dia Internacional da Mulher. Há a teoria de que não é necessário um dia para celebrar o facto de sermos mulheres. Eu não sou da mesma opinião. Este dia surgiu após a revolução histórica de 130 operárias em Nova Iorque, no dia 8 de março de 1908, que se manisfestaram contra o facto de serem muito mais mal pagas que os homens. Estas mulheres foram assassinadas com um incêndio na mesma fábrica. Morreram as 130 mulheres. Ainda hoje, se sente uma diferença e uma descriminação em muitos sectores em que, nós mulheres, somos muito prejudicadas em relação aos homens. E, está nas nossas mãos, conseguirmos vencer esta discriminação. Lutando sempre a favor dos nossos direitos. Eu gosto de pensar que aquelas mulheres não morreram em vão. Que elas são um símbolo de força e de união. Não acredito que devamos ser iguais aos homens, porque definitivamente não o somos, mas acredito e defendo que temos o dever e a obrigação de termos as mesmas oportunidades que eles.


À minha volta sempre estive rodeada de mulheres de força, de mangas arregaçadas. Mulheres trabalhadoras, lutadoras, mães, irmãs, tias, professoras, empresárias, financeiras, enfermeiras, médicas, assistentes sociais, operárias, actrizes, farmacêuticas, nutricionistas e até investigadoras… Sou uma privilegiada, somos uma família de mulheres incríveis. Começando pela minha mãe, que trabalhou toda a vida, fazendo mil e uma coisas, uma mulher de força, sempre com mil projectos e sempre de um carinho e amabilidade invejáveis. As minhas irmãs, cada uma na sua forma, uma mãe de 3, que tanto admiro, na sua coragem, na sua força diária, na sua capacidade de manter a sua vida activa e o desafio constante de que é a vida dela. A mais nova, que luta pelos seus sonhos, de um talento inigualável, uma verdadeira artista.

Mas hoje venho falar-vos de uma mulher muito especial. Uma mulher que muitas vezes se esquece do quão especial é, do valor que realmente tem. Uma mulher que sempre lutou pelos mais fracos, pelos oprimidos. Que dedicou a sua vida a ajudar quem mais precisava. Durante grande parte da vida
demonstrou o que é ser independente e que sem se aperceber passou-me esse ensinamento. A ela lhe devo a minha capacidade de gestão independente, a minha força enquanto mulher que se desenvencilha sozinha, a noção de estabilidade interna. Uma mulher incrível, de mangas arregaçadas e super feminina, o que há de mais sexy do que isto? E, para além disso, foi a a mulher que me passou o gosto pelos doces. E por isso, hoje, dia 8 de Março de 2016, é-te dedicado a ti. Minha madrinha do coração, minha segunda mãe. 🙂

Quando o Porto Canal me convidou para ir ao programa Grandes Manhãs, para celebrar o dia Internacional da mulher, alegando que sou uma mulher de força, quase ía “morrendo”. É um misto de emoções. Não nego que me senti muito lisonjeada, mas também, senti um peso de responsabilidade enorme. Representar as mulheres é sempre um desafio incrível.

Por isso, não poderia deixar de levar uma receita com história. Uma receita de uma das minhas mulheres favoritas, da minha madrinha. Esta receita fez parte da minha infância. Em todas as festas a minha madrinha levava os seus bolos e doces e este sempre fez parte da mesa. É um semi-frio com sabores inesperados, que se derrete na boca e ao mesmo tempo temos pequenos pedaços crocantes. É uma receita muito fácil e, acreditem, faz sucesso em qualquer ocasião.

Semi-frio de cerejas e amêndoas


Ingredientes:

1 lata leite condensado
500 ml kg natas
6 folhas de gelatina
Cerejas cristalizadas – 1 mão cheia – tirar caroços
125g de amêndoas torradas picadas
enfeitar com frutos vermelhos


{coulis de morango}


10 morangos
1 cálice de vinho de porto
2 c. de sopa de açúcar



Preparação:

Bata as natas até ficarem consistentes. Junte o leite condensado.
Hidrate a gelatina em água, escorra bem a água e leve ao microondas durante cerca de 20 segundos. Junte a gelatina diluída na mistura.

Torre as amêndoas.
Rale as cerejas e as amêndoas.
Junte ao preparado anterior.

Coloque na forma e leve ao congelador.

{Preparação do Coulis}

Coloque todos os ingredientes num tachinho e leve ao lume. Vá mexendo até os morangos começarem a desfazer-se.
Passe pela varinha mágica e deixe arrefecer completamente.

Sirva por cima do semi-frio.

A força da mulher {semi-frio de cereja e amêndoa} Comentários
  1. Também sou a favor deste dia sim Maria João, e julgo que cada vez mais temos de lutar pelos nossos direitos porque, infelizmente, o pior de tudo é acreditar-se no mito que já existe igualdade… e isso é tão, mas tão falso!
    Adorei o teu texto e, claro, a tua absolutamente deliciosa receita 😀
    Grande beijinho

  2. Se percorrermos este planeta, apercebemo-nos que a mulher continua, vergonhosamente, a ser alvo de descriminação e por vezes de tal maneira criminosa que me chegam a vir as lágrimas aos olhos. Olha o caso daquela menina (linda criança, por sinal) de 8 anos que morreu à mercê do seu marido, 40 anos mais velho, na noite de núpcias… onde estamos afinal? Em que época vivemos? Que aberrações são estas? Revolta-me tanto!
    Como diz a Su… é tudo falso!
    Por isso, querida João, são precisas, ainda, tantas manifestações, tantas revoltas femininas e tantas mulheres de força.
    Obrigada pelas tuas palavras de lembrança deste dia, pela força que tens e por este semi-frio de bradar aos deuses 🙂
    Beijinho
    Cláudia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome *