sushi fingido de salmão e a aprendizagem da felicidade

O que é a felicidade?

Quem nunca pensou nesta pergunta? Quem nunca a fez a si mesmo? Quem nunca pôs em causa se merece a felicidade?

Eu já… e muitas vezes. Já dei por mim a pensar tantas e tantas vezes na incapacidade que tinha de aceitar a felicidade. Será que mereço? Posso ser feliz e dizê-lo abertamente? Porque sinto vergonha de ser feliz?
Parece estúpido dizer isto, mas confesso que é ainda mais estúpido sentir. Mas quem disse que os sentimentos não são, muitas vezes, as coisas mais estúpidas da nossa vida?

Mas houve um dia em que parei de me sentir assim. Decidi abraçar a felicidade e aceitá-la, com todos os defeitos que ela tem… sim, porque tem muitos. E com todas as vertentes dela e, mesmo, com todos os dias feios, escuros e maus e mesmo assim estar com ela, de braço dado e gritar a todo mundo que sou feliz.

Deixei de ter vergonha. A que propósito poderia sentir vergonha da coisa mais linda do mundo? E, caramba, como é bom ser feliz.

Já experimentaram?

Para estes dias de verão nada melhor que receitas assim leves. Vejam esta que fiz para a Coca-Cola e que vos poderá parecer um acaso; uma receita fingida, para quem decidiu deixar os fingimentos. Pois… não é um acaso! 🙂

Sushi fingido de salmão

Ingredientes:

4 fatias de pão de forma sem côdea
1/2 pêra abacate
1 embalagem e salmão fumado
queijo creme
1/2 manga
1/2 pepino
1/4 pimento vermelho
1/2 de beterraba
pimenta rosa moída
pimenta preta moída
sal q.b.
sumo de 1/2 limão
sementes de sésamo pretas e brancas
molho de soja
gengibre em pickle

Preparação:

Numa taça coloque a pêra abacate, regue com o sumo de limão e tempere com sal e pimenta preta. Mexa bem até ficar uma pasta.

Coloque as fatias de pão de forma sobre a tábua e com a ajuda de um rolo da massa espalme bem as fatias até ficarem bem finas.

Molhe a mão com água e passe nas fatias de pão.
Coloque as sementes de sésamo pretas numa fatia.
Misture sementes brancas e pretas de sésamo e coloque noutra fatia.
Faça o mesmo noutra fatia com a pimenta rosa moída.

Barre 2 fatias do pão com o queijo creme e outras duas com a pasta da pêra abacate.

Numa tábua coloque a manga e corte às tiras muito finas. Faça o mesmo com o pepino, com o salmão, a beterraba e o pimento vermelho.

Distribua sobre as fatias de pão e enrole 8escolha a combinação de ingredientes que mais gostar).
Corte os rolos grandes em rolinhos pequeninos.

Coloque num prato e sirva acompanhado de molho de soja.

sushi fingido de salmão e a aprendizagem da felicidade Comentários
  1. Vergonha de ser feliz, nunca senti confesso… apenas orgulho. Mas por vezes tenho receio – um certo pânico até – que o ser tão feliz apenas signifique que num futuro algo terrível me aguarda. Não sei se faz sentido. É como se não pudesse ser 'sempre e para sempre' feliz… e claro, só espero estar terrivelmente enganada.
    O teu sushi fingido é uma ideia fantástica e talvez seja a forma perfeita de introduzir o meu filhote ao sushi 😀
    Grande beijinho Mª João e uma vez mais um obrigada especial pelas tuas palavras de amizade e carinho. Um destes dias vou ao Porto só para te conhecer 😉

  2. Apenas as pessoas que conseguem ver a felicidade nas pequenas coisas conseguem escrever este texto. Não se procura atingir a felicidade. Ela está connosco se tivermos a sensibilidade para a ver e sentir. Ela são os nossos filhos, a nossa casa, a nossa família alargada. Ela está na natureza em tantos apontamentos… Infelizmente, muitas vezes são os momentos menos bons que nos fazem perceber que fomos já felizes. Mas sei do que falas. Às vezes também me é difícil apregoar a felicidade e sinto obrigada a conter-me, apenas porque penso que a minha felicidade pode não ser bem entendida pelos outros, quer sejam eles quem nos rodeia ou quem visita os nossos post através do blogue ou das redes sociais. É importante que transbordemos de felicidade! Quando isso acontece, sentimos a necessidade de a gritar bem alto. Continuemos então a valorizar a vida, rodeando-nos sempre de energias positivas.

    beijinhos aqui do meio do mar

    Patrícia

  3. temos que abraçar sempre que a felicidade nos toca por perto pq ninguém é permanentemente feliz mas se nos habituarmos a valorizar cada momento bom e dar a volta aos menos bons acho que conseguimos viver felizes. Eu continuo a tentar em cada bocadinho da minha vida e considero-me uma pessoa feliz.

  4. Tão bom ser feliz, não é? Aqui de longe, comemoro cada felicidade sua! Continue gritando aos 4 ventos, porque nosso mundo está necessitado disso! 😀 Vou tentar fazer esse sushi pro Ju!

  5. Abraçar a felicidade é melhor coisa do mundo! Não é vergonha nenhuma. È feliz quem valoriza as pequenas conquistas e coisas boas da sua vida!
    Adorei este teu sushi fingido! É uma ideia maravilhosa…
    beijinho

  6. Ultimamente ando muito feliz, para te ser sincera até mesmo no momento mais triste da minha vida, houve alturas em que me senti feliz de ter ultrapassado a tristeza… mas isto deve-se muito à minha companhia… o Paulo é de longe a pessoa que mais me faz feliz nas alturas em que devia estar triste, é um grande chato às vezes! Mas sabe fazer-me bem feliz. Quanto à tua receita, é impossível não ver sushi, seja ele fingido ou do verdadeiro e não me lembrar da tua Maria! Um beijo com saudades

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome *