“Micos Lecos Tecos Pecos da Bá”

É difícil transmitir em palavras a emoção e amor que sinto pela minha mãe. Quem me segue sabe bem a quantidade de vezes que já falei dela e o quanto é importante na minha vida. O quanto está presente, o quanto é amiga, o quanto me apoia, o quanto me ama… Mas talvez não seja importante escrever grandes palavras de amor, até porque felizmente temos o hábito de dizer frequentemente o quanto nos amamos. Hoje vou fazer um testemunho um pouco diferente, hoje vou recordar momentos cómicos. Perdoem-me quem achar que este post é demasiado “parvo”, mas honestamente, para mim o amor tem de ser “parvo” para ser verdadeiro. 🙂

Comecemos por explicar o título deste post. “Micos Lecos Tecos Pecos da Bá” – a frase de carinho proferida pela minha mãe aos netos, sendo ela a Bá. Com esta frase de carinho dará para perceber o quanto maluca é a minha mãe. Ninguém tem uma avó que telefona aos netos e a primeira frase que diz é esta, e ninguém vê os netos do outro lado da linha com um sorriso de orelha a orelha, derretidos, felizes, amados! (Eu vejo!)

#1
Sou, fisicamente, muito parecida com a minha mãe. O que nunca me permitiu “fazer de conta” que não sou filha dela. A minha mãe sempre gostou de nos provocar. Recordo-me uma vez que estávamos todos num shopping (eu, os meus irmãos e a minha mãe). E a minha mãe começou a correr pelos corredores, entrava numa loja com um salto e gritava: “Bom dia!” Os meus irmãos afastaram-se, do género “não conheço esta senhora de lado nenhum”, mas eu não tinha hipótese, por mais que me afastasse as pessoas que passavam e ficavam a olhar para ela incrédulas, olhavam para mim com piedade. Ninguém merece… eheheh

#2
De manhã cedo, ensonados à volta da mesa da cozinha, a tomar o pequeno-almoço: “Mamã, preparas-me um pão com manteiga?” “Sim, claro filhota!” E continuava a beber o leite, de repente: “Ohhh mãe! esse era o meu pão.” Distraída comia sempre o nosso pão, e ainda por cima dizia: “Ohh desculpa, mas está muito apetitoso!”

#3
Dia cheio de coisas para fazer, muitas tarefas pendentes e ter de sair de casa com a minha mãe pela nossa cidade. Tarefa completamente impossível se temos pressa. Paramos de metro a metro, literalmente, pois toda a gente a conhece, toda a gente pára e na testa da minha mãe está escrito: “Tem problemas pessoais? Conte-mos todos!”

É, sem dúvida, a melhor mãe do mundo. A mãe divertida, desportiva, enérgica, feliz, carinhosa… a pessoa com mais luz que eu já vi na minha vida. E essa pessoa é a minha Mãe! Feliz dia, minha Mãe.

Para ilustrar este dia e adoçá-lo ainda mais, fiz este bolo, delicioso, maravilhoso, cheio de cores e sabores. Fica lindo numa mesa e é uma excelente sugestão para todas as mães.

Bolo esponja com flores e morangos

Ingredientes para o bolo:
(receita do bolo do livro Seasons da Donna Hay)

185g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
6 ovos
165g de açúcar
60g de manteiga derretida

Ingredientes cobertura:

200ml de natas para bater muito frias
2 colheres de sopa de açúcar em pó
Pétalas de uma a duas flores de calêndula Life in a Bag
Pétalas de rosa
6 morangos pequenos
Folhas de hortelã-pimenta
Flor de sabugueiro

Preparação do bolo:

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte duas formas de 20cm de diâmetro (ou então pode fazer como eu: usei uma forma de 16cm de diâmetro alta)
Coloque numa batedeira os ovos com o açúcar. Bata em velocidade média-alta durante cerca de 8 a 10 minutos ou até ter triplicado o volume e ficar bem espumosa. Junte a farinha com o fermento e bata bem durante 10 segundos. Junte a manteiga derretida.
Leve ao forno durante, sensivelmente, 25 minutos, ou faça o teste do palito.

Preparação da cobertura:

Bata as natas com o açúcar até montarem.

Quando o bolo estiver cozido retire-o da forma e deixe-o arrefecer por completo. Se fizer em duas formas recheie com o chantilli entre cada bolo. Neste caso eu coloquei o chantilli por cima e depois decorei com as flores, morangos e a hortelã.

Fica um bolo muito fofo, óptimo para rechear e decorar com com coberturas bem húmidas.

“Micos Lecos Tecos Pecos da Bá” Comentários
  1. Muito bonita a tua mãe, Maria João. Achamos sempre a nossas mães extraordinárias e fico tão feliz por ter uma mãe igualmente deslumbrante como a tua.
    Um bolo à altura 🙂
    Beijinhos
    CláudiaV

  2. Gostei muito, até porque eu também tinha uma relação muito cúmplice com a minha mãe Isabel, que para sobrinhos e netos era – e é, mesmo sem cá estar fisicamente desde há 1 ano e meio – a Tia Bá e a Avó Bá.

  3. Parabéns Clavel.
    O texto é lindo e a tua mãe deve ser uma mãe muito orgulhosa da filha que criou e tu serás com certeza uma mãe maravilhosa para a tua Maria, pois o exemplo que tens, pelo que sempre escreves sobre a tua mãe, é o melhor e normalmente tendemos a ser aquilo que nos ensinaram a ser.
    O bolo…, sem comentários, pois as imagens falam por si e não são necessárias palavras.
    Adoro o prato!
    Beijinhos e continuação de bom Domingo,
    Lia.

  4. Aha! Foi aí que foram parar as flores 🙂 O bolo está lindo e o texto fez-me sorrir. As nossas mães são únicas e maravilhosas e deve ser tão divertido ter uma mãe assim.

    Beijinhos 🙂

  5. Oh que maravilha de texto, certamente sorrisos não faltaram à mãe ao ler este post, e que bom que sabe recordar esses momentos.
    Um bolinho lindo e simples, essas flores dão lhe um toque sublime e bem fofo.

    beijinhos

  6. Que bonito texto, sim eu costumo ler posts LOL Adorei conhecer a tua mais que tudo.. Acho que ela, tu e a mini não negam ser da mesma família 🙂 O livro ficou lindo com as flores por cima, aposto que a mini adorou! beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome *