Quando um pedaço do coração viaja…

Somos desde cedo habituados a rotinas. Somos seres que necessitam delas por uma questão de sobrevivência e conforto. Faz parte do ser humano. E por mais que defendamos que gostamos de as quebrar, estamos com isso mesmo a reforçar que todos nós as temos. Cada um com a sua rotina, que varia de pessoa para pessoa, de família para família… E vamo-nos habituando, acomodando, sentimo-nos assim seguros. Mas quando a rotina é quebrada não por vontade própria, mas sim por uma questão de trabalho, de viajem, de divórcio, de separação, etc, aí a nossa vida parece que fica desnorteada.

E eu hoje sinto-me um pouco assim, desnorteada. Não por nenhum motivo grave, foi só uma viajem de negócios. Mas os acordares são esquisitos, as rotinas matinais são alteradas, e a falta… ai a falta que nos faz às duas. A mini diz: “não me fales nisso que fico triste!”. Dramática até mais não, mas juro-vos que uma lágrima nervosa aparece no canto do olho. Ok… foi puxar a veia dramática a esta parte da família, basta ver a sua querida madrinha que está a terminar o curso de actriz.

Então, esta receita, fi-la a pensar em ti Miguel. Imaginando que a partilhava contigo. Duas tarteletes lindas, frescas e a chamar a Primavera.

Estas tarteletes ficaram perfeitas. São mesmo boas para um almoço leve ou para servir como entrada numa festa. São frescas, saborosas, perfumadas e com os microvegetais Life in a Bag ficam ainda mais bonitas e mais saborosas.

Claro que o rei desta festa é o romanesco. Lindo e adoro o sabor leve dele. Mais leve que o bróculo normal e bem mais bonito. Para mim está entre a couve-flor a nível de textura, mas a nível de sabor é mais idêntico ao bróculo comum. Romanesco é originário da Itália, mais concretamente de Roma, daí o nome dele. Ele é tão tenro que não deve ser cozido durante muito tempo. Eu não o cozo, eu salteei-o, fica crocante e delicioso. Pode ser usado cru em saladas.

A minha horta de casa está mesmo pronta a ser consumida. desta vez plantei mizuna vermelha, mizuna verde e agrião. As mizunas são uma espécie de erva “picante” japonesa. Tem um travo picante, muito suave. Eu já a tinha provado sem ser em microvegetais, mas assim é ainda mais intensa. Adorei.

Tarteletes de romanesco e caju
(faz entre 6 a 8 tarteletes – eu fiz só 2 porque estava sozinha)

[Massa]
(receita do Chilli Com Todos)

Ingredientes:

250g de farinha
1 c. de chá de sal
60ml (45g) de azeite virgem extra
120ml de água

½ c. de sopa de alecrim fresco picado

Preparação da massa (tradicional):

Coloque todos os ingredientes numa tijela grande, misture-os bem até começar a formar a massa. Amasse até a massa deixar de colar às laterais. Envolva a massa em película aderente e reserve no frigorífico pelo menos 30 minutos.

Preparação da massa (thermomix):

Coloque todos os ingredientes no copo, programe 2 min/vel. espiga.
Envolva a massa em película aderente e reserve no frigorífico pelo menos 30 minutos.

[Recheio]
Ingredientes para o recheio:
1 romanesco
4 folhas grandes de acelgas

¼ de raiz de aipo picado finamente

2 dentes de alho picados finamente
40g de azeite extra virgem extra
1c. de sopa de cajus
1c. de sopa de molho de soja
Sal q.b. (opcional)
Pimenta preta moída na hora q.b.
Microvegetais de mizuna vermelha e verde q.b.
Preparação do recheio:
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Comece por preparar o romanesco. Eu utilizo somente a “flor”. 
Retire do caule e passe por água as “flores”. Reserve. 
Lave as folhas de acelga, separe-as dos caules coloridos. 
Pique os caules e reserve os caules. Junte as acelgas com o romanesco.
Numa frigideira coloque a raiz de aipo e o alho com o azeite e deixe alourar um pouco. Junte o romanesco e as folhas das acelgas. Tempere com a pimenta. 
Coloque os cajus, vá mexendo bem.
Junte o molho de soja e prove. Se achar que necessita junte um pouco de sal.
Retire do lume.
[Montagem das Tarteletes]
 
Estenda a massa numa superfície enfarinhada e corte rodelas do diâmetro das suas formas de tarteletes. Coloque nas formas. Junte o recheio, distribua bem pelas tarteletes.
Leve ao forno sensivelmente por 20 minutos.
No momento de as servir, coloque os microvegetais por cima. 
Eu acompanhei com uma salada de folha de aipo, pimento amarelo e ovo cozido.

Mas não se vá embora, não antes de conhecer estes fabulosos workshops que vão acontecer aqui no Porto e que uma das coisas que a Magda fala é mesmo acerca de rotinas e da importância delas. Aconselho-vos vivamente a irem estes workshops. A Magda é fenomenal, acreditem.
Quando um pedaço do coração viaja… Comentários
  1. Adore Maria João! Sei do que falas, as rotinas ficam tão diferentes e a falta que um faz ao outro! Muitas vezes fico só com o meu pequeno, já estamos habituados, mas há sempre ali aquele vazio, mesmo que seja só por uns dias!
    As pequenas tartes ficaram lindissimas!
    Bjinhos

  2. Oh…
    Eu sei bem o que se sente quando um pedaço do coração viaja, pois por aqui acontece muito e também cá tenho uma "drama queen" com o mesmo tipo de reacções.
    As tuas tartes ficaram lindas, lindas e bem apetitosas e as fotos, 5*****. Já me cruzei várias vezes com o romanesco e nunca fiquei tentada a comprá-lo, ams no sábado vai haver farmers market e quem sabe não é desta que trago um deles, biológico, comigo…
    Beijinhos,
    Lia.

  3. Pois, as rotinas parecendo que não fazem-nos bem, é bom quebrá-las de vez em quando, mas sabe bem sentirmos o que estamos habituados.
    Eu adoro romanesco! A minha mãe trouxe-me um quando comprou as cheróvias e comemos deliciados. Gostei das tarteletes.
    Um beijinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome *