Os bastidores nada glamorosos {Wraps de couve lombarda e peru com molho de mostarda}

Quantas vezes dou por mim a pensar “No que me fui meter? Agora deu-me para brincar às empresas?”. Este pensamento às vezes assombra-me e assusta-me. Assusta-me tanto, nem podem imaginar. As decisões são tantas, as responsabilidades enormes. De tal forma que dei por mim, noutro dia, a “invejar” um colaborador fabril, que entra às 9h e sai às 17h, que não tem grandes responsabilidades, que o trabalho acaba quando pica o ponto. Claro que todos estes pensamentos não passam de pequenos desabafos íntimos, pequenos medos (ou grandes, sei lá!), sustos e que naquele preciso momento quero é desaparecer… “Deixem-me em paz, hoje não sou eu que decido!”


Fora dos “holofotes” a constituição de uma empresa, de um negócio, de uma marca, enfim… é tudo menos glamorosa. Então no momento em que temos de pagar as contas, os impostos ao estado (juro-vos que neste ponto só me ocorrem palavrões) todo o nosso esforço feito parece que foi em vão. Sabem aquela sensação que apetece atirar o pano ao chão? Mas não, toca a reerguer e acreditar “Vou conseguir!” E volto a arregaçar as mangas, volto a enfiar a cabeça bem fundo no trabalho, organizo os meus dias de forma a conseguir ter tempo para tudo e nunca descurar as minhas filhas. E quando tudo isto está a ser difícil, mas possível, de repente chega uma notícia que te leva até ao chão. Quando percebes que podes ter errado, podes ter confiado nas pessoas erradas, que podes ter cometido um dos erros mais difíceis de desfazer. Pior do que isso é ouvir alguém, seja quem for, a dizer-te: “Podes desistir!”.

Ahhhh minha menina, desistir? Não conheço essa palavra. Sei que talvez muita gente pudesse culpar as “invejas“, os “maus olhados“,  ahhh mas não! Não caio nessa. Não existe no meu dicionário a palavra “desistir”. Nunca desisti de nada, sempre lutei (muito!) por tudo o que tenho, não será uma coisinha que me deita abaixo. E estes problemas que me fazem questionar, que me fazem chorar, e até perder algumas horas de sono, só me tornam ainda mais forte, ainda mais capaz e mais! conseguem fazer-me melhorar a minha ideia/empresa/negócio.

Hoje foi um dia de desabafo, aqui, mas com uma intenção: Não desistam dos vossos sonhos. Não desistam de nada que vos faz feliz! Nunca!

E com todos os problemas nada glamorosos e bem chatos da minha empresa, ela está cada vez mais linda. A escola Clavel’s Kitchen tem cada vez mais ofertas aliciantes e incríveis, os meus clientes são maravilhosos, a energia que nos ronda é tão boa! Obrigada a todos vocês que aqui vêm, e a todos os meus leitores. Obrigada, e apesar de eu não acreditar na força das invejas, acredito na força do bem querer. ❤

Nada melhor para comemorar a força das boas energias de que vos trazer uma receita feita a quatro mãos. Feita por mim e pela minha querida Teresa que está a colaborar na Clavel’s Kitchen e que tem sido o meu braço esquerdo e o direito… e mais uns membros! ehehhe

Estes rolinhos são uma excelente opção para uma refeição saudável. Aproveitamos a couve lombarda do nosso incrível fornecedor de produtos biológicos a Bio Habitus. A couve é tão boa que tínhamos mesmo de fazer algo incrível com ela.

Wraps de couve lombarda com peru e molho de mostarda

Ingredientes:
(para 4 pessoas)

4 folhas de couve lombarda biológica
1 fatia de ananás
1/2 manga
1 pepino
1 bife de peito de peru
4 tiras de pimento vermelho
Queijo creme com ervas q.b.
Alho em pó q.b.
Sal marinho q.b.
Sumo de 1/2 limão
1 c. de sopa de mostarda dijon com grão
2 c. de sopa de azeite extra virgem
1c. de sopa de mel

Preparação:

Coza as folhas de couve a vapor e tempere com uma pitada de sal. Reserve e deixe arrefecer.
Parta o bife de peru em tiras ao alto e tempere com o sumo de limão, com alho em pó e sal.
Numa frigideira
grelhe as tiras de peru.

Montagem dos wraps:
Barre o queijo com ervas em cada folha.
Coloque dentro de cada folha uma tira de peito de peru grelhado, uma tira de pepino, uma tira de ananás, uma tira de manga e uma tira de pimento vermelho. Enrole o recheio dentro de cada folha e faça os wraps. Divida cada wrap ao meio.

Molho de mostarda:
Numa taça coloque o azeite, a mostarda, o mel e uma pitada de sal. Envolva tudo muito bem.

Em cima de cada wrap coloque um pouco de molho de mostarda.

Obrigada à BioHabitus.
É um prazer colaborar convosco. Os vossos ingredientes são de máxima qualidade.

Os bastidores nada glamorosos {Wraps de couve lombarda e peru com molho de mostarda} Comentários
  1. Já imaginaste como seria o sabor de uma conquista se não houvesse dificuldades pelo caminho percorrido até a alcançar? Eu acho que o sabor é muito sonso…
    Dito isto, sei bem o que implica montar uma empresa e uma marca e agarrar o touro pelos ditos, sei que às vezes o medo e as inseguranças nos fazem sentir muito pequenas e incapazes. Mas como dizes, desistir não… porque desistindo nunca saberemos a nossa verdadeira força.
    E força é o que não te falta, não tenho qualquer dúvida. Tropeçaste? Pois endireita-te e rumo para a frente que se o pé doer uns tempos, não tardará e já está a correr 😉

  2. Não acredito mesmo nada nisso dos "maus olhados", "invejas", etc… ninguém consegue ter força suficiente para derrubar pessoas boas e confiantes. Se alguma coisa não dá certo ou algo nos acontece, a culpa é inteiramente nossa. Porque havemos de culpar o que se calhar nem existe?
    Não sou de desistir, e tento ir mesmo até às últimas consequências…
    E se tenho de o fazer, roo-me toda 🙂
    Força nisso, mulher e boa sorte para tudo com toda essa energia. Apostar em tudo o que nos faz feliz, é o lema por aqui.
    Beijinhos
    CláudiaV

  3. Olé Clavel… Até achei estranho começar este post, tu a lamentar te de facto é algo raro! Essa sou mais eu ou a Naida. Adorei a receita e a tua força é uma inspiração todos os dias, beijo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome *