Barras energéticas para a Ultra Maratona de Madrid

O post de hoje é muito especial. Este foi um desafio lançado por um amigo meu. Já neste post aqui vos falei de que o blogue se tornou um meio para conhecer pessoas fabulosas. Nunca imaginei que ao criar este cantinho fosse conhecer pessoas tão especiais. E o Miguel de Almeida Ferreira é uma dessas pessoas. Lisboeta mas morador em Castelo Branco há já uns anos, professor universitário, doutorando, desportista e amante de culinária (foi o que nos ligou numa primeira instância). O Miguel agora está a treinar diariamente para a Ultra Maratona de Madrid. Tem feito treinos intensivos diários, criou a UrbanNightRaces, que até saiu uma reportagem na tv que podem ver aqui, e faz treinos combinados.
Há uns dias, lançou-me um desafio: imaginar uma receita que o ajudasse na Ultra Maratona. Disse-me que aos 50km de corrida (coisa pouca! ahahah) precisam de ingerir pequenas de doses de algo bastante calórico e que tenha sal, pois perdem muitas calorias e ficam com baixa grande de sódio devido à transpiração e desgaste. Digo-vos, foi um desafio que me apeteceu ir logo de imediato para a cozinha. E criei estas pequenas barras energéticas feitas nas formas de gelo que qualquer um pode fazer em casa e levar até para os seus treinos.

Entretanto resolvi fazer uma mini entrevista ao Miguel e tentar explicar como é que alguém consegue ter motivação para correr 100kms seguidos! Bolas, é dose!!

Entrevista 


Queres contar um pouco como nasceu a tua paixão pela corrida? 

A paixão pela corrida nasceu naturalmente. Já fazia imenso desporto mas queria algo diferente. Até que aceitei o desafio para correr a meia maratona de Lisboa. A sensação de fazer algo até então impensável era excelente! Começaram os treinos e a evolução surgiu naturalmente, apesar de ser uma experiência completamente diferente, mas com muito treino… Correu muito bem. A experiência foi óptima.
A partir daí foi sempre a querer um pouco mais, quer nas distâncias, quer nos tempos. Para além disso, a corrida tem uma particularidade única; é que nos faz sentir bem, e apesar de nunca ser fácil, e se estas confortável aumentas o ritmo, ou a distância, mas liberta sensações óptimas… É o resultado das endorfinas. Seja em grupo ou sozinho, são óptimos momentos de reflexão, de interiorização e de superação pessoal.

Onde vais buscar força e inspiração para correr todos os dias? 

A inspiração para treinar está basicamente dentro de cada um de nós. Convém ter sempre alguns objectivos para manter os níveis de motivação altos, mas penso que no meu caso é mesmo o desafio.
O facto de saber que, mesmo cansado, depois da corrida vou ter uma sensação de bem estar fantástico, muito melhor do que se ficasse no sofá.

Qual a tua média diária de corrida em kms? 

Depende muito da prova que estou a preparar, neste momento ando a treinar para a Ultra Maratona, logo é mais importante as distâncias do que o ritmo. Actualmente e, em média, entre 20 a 30kms por dia, cerca de 150/160kms por semana. Mas são fases. Depois noutros períodos faço treinos mais curtos mas expecíficos para velocidade, normalmente em pista.
Nessas fases, cerca de 100kms por semana.

Fazes outro tipo de treinos combinados, quais? 

Além da corrida também faço ciclismo de estrada e natação. A bicicleta ajuda imenso a fazer treinos longos, sem grande desgaste para as articulações e a natação além de fortalecer o corpo de uma forma geral, é óptima para a recuperação dos treinos mais duros, graças aos benefícios da água.

Sei que foste um dos criadores do UrbanNightRaces, como surgiu essa ideia? 

As UrbanNightRaces surgiram pela simples razão de não existirem iniciativas deste género no interior. Estamos em Castelo Branco, e acontece tudo em Lisboa, Porto ou Coimbra. Actualmente as pessoas interessam-se mais pela corrida, ou mesmo caminhadas, e esta iniciativa foi uma forma de juntar pessoas pelo simples prazer de correr ou caminhar. Acabou por funcionar quase como uma visita guiada a parte histórica da cidade. A adesão foi muito boa e a iniciativa um sucesso!

Porque é que decidiste participar na Ultra Maratona de Madrid? 

O que me levou a participar na Ultra Maratona foi essencialmente o desafio. Neste tipo de corridas, fora um pequeno grupo de elite que vai realmente competir, todos os outros participantes correm quase todos com o mesmo objectivo: superação pessoal, o desafio aos limites do corpo humano, limites estes que são muitas vezes meramente psicológicos…
Esta é uma forma de provarmos a nós próprios, que com algum esforço e dedicação, todos os objectivos podem ser alcançados. E isto traduz se quer na corrida, quer na vida.

Para além da tua paixão pela corrida és professor universitário e estás a terminar o doutoramento. Como tens tempo?

O tempo para treinar é sempre um desafio extra, principalmente se queremos treinar com companhia. Mas como em tudo na vida, com alguma organização consegue-se. Muitas vezes tenho de abdicar de algumas coisas para conseguir treinar, como umas saídas nocturnas com os amigos, ou mais umas horas na cama de manhã. Mas, essencialmente, são opções, se tiver de me levantar às 6h para ir correr 2 horas, tomar duche, pequeno-almoço e ir trabalhar as 9h, por mim, sem problema. Assim como jantar, ir beber café com os amigos e ir correr às 23h.

Se quisermos conseguimos! É tudo uma questão de opções

No final da entrevista, o Miguel ainda acrescentou mais umas dicas:


Nestas fases não existe qualquer limitação calórica. Na Ultra Maratona irei correr cerca de 9 horas seguidas e gastar mais de 10.000kcal, portanto além do açúcar de absorção rápida para dar energia no momento quando as reservas do nosso corpo se esgotam, precisamos de repor os níveis de sódio perdidos através da transpiração. Por isso a importância do sal, para a reposição de níveis. Essencialmente a partir dos 40/50kms, é fundamental dar “combustível” ao nosso corpo.
Obrigada Miguel! E Ala Madrid!!! 🙂

Barras energéticas para a Ultra Maratona de Madrid
Ingredientes (para 16 barras):
1 tabelete de chocolate negro 70% cacau
6 c. de sopa de açúcar
6 c. de sopa de água
4 c. de sopa de frutos secos salgados (caju, amendoins, amêndoas…) picados
Flor de sal com pólen (Casa do Sal da Figueira)
Preparação:
Pique os frutos secos. Reserve.
Faça caramelo com a água e o açúcar.
Derreta o chocolate.
Misture o caramelo com os frutos secos e coloque numa forma de fazer gelo, até encher metade.
Deixe arrefecer um pouco ao ar e coloque o chocolate derretido por cima.
Leve ao frio sensivelmente por 20 minutos. Coloque o sal por cima e volte a colocar no frio.
Ficam pequeninas, pode-se embrulhar em papel de alumínio e levar na mochila. Consegue-se comer de uma vez só, o que é super prático em corridas. E o sabor ficou divinal. Experimentem!

Barras energéticas para a Ultra Maratona de Madrid Comentários
  1. Isto deve ser bom mas bom!! E eu não vou à maratona, mas com as gémeas a sugaram-me as energias bem que eu precisava de umas barrinhas energéticas como estas 😉

  2. Uau!!!Acho que o desafio foi mais que superado!!!E o formato das barrinhas é super prático quer para as levar quer para as comer pois comem se de uma dentada só!!!Pensas te em tudo está mais que visto!
    Bjoka
    Rita

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome *